está aqui: home > artigos > répteis: a muda de pele

Envie a um amigo
Recomende o vivapets
de:


para:


mensagem:

[ enviar ]

 

Répteis: A Muda de Pele

Dificuldades e características da renovação de pele nos répteis

ARCADENOE.SAPO.PT

É um especialista sobre este tema? 
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.
Enviar este artigo a um amigo!
Preencha o formulário abaixo

o seu nome:
o seu email:
nome do seu amigo:
email do seu amigo:
comentários:
 
Sexta, 20 de Março 2009

Répteis: A Muda de Pele
A mudança de pele nos répteis é um processo normal e desejável, que promove a renovação dos tecidos e o crescimento. Todos os animais mudam de pele, incluindo os humanos, mas cada um a seu ritmo. Os humanos mudam a pele de forma quase contínua, enquanto que os répteis tendem a concentrar a mudança de pele num determinado período de tempo.

É muito importante que os répteis mudem a pele por completo, uma vez que se a pele velha não for substituída, pode causar problemas no crescimento nos novos tecidos e levar ao “apodrecimento”, necroses, de membros ou espinhos. Geralmente aconselha-se o aumento ligeiro da humidade dos terrários quando o animal começa a dar os primeiros sinais de que vai renovar a pele, seja borrifando o ambiente, ou criando uma toca húmida específica para o efeito. Se quer ajudar o seu réptil a mudar de pele, dê-lhe banho de água morna e tenha uma superfície ligeiramente rugosa no terrário. Não puxe pela pele que ainda não está pronta para sair.

A mudança de pele pode ser perturbada por:


  • Parasitas externos – o animal deve estar desparasitado
  • Carências vitamínicas – o dieta do animal deve ser equilibrada. Mas não caia no erro do exagero. Vitaminas a mais podem levar a uma frequência de muda muito exigente para o animal
  • Níveis de humidade desadequados – em ambientes secos a pele não se solta tão facilmente. No entanto a humidade não deve estar também demasiado alta. Um ligeiro aumento 10% pode ser feito na altura da muda.
  • Stress – os répteis são muito sensíveis a mudanças, doenças ou más condições de alojamento. Tudo isto provoca stress e deixa o animal debilitado. Como a muda é extremamente exigente em termos de consumo de energia, os animais podem não ter capacidade para a fazer.

Alterações comportamentais


Os répteis, sobretudo as cobras e lagartos, são particularmente afectados pela muda de pele. Alguns indivíduos mostram-se mais nervosos ou mal dispostos e reagem com agressividade se forem manuseados. Para diminuir o stress desta renovação já de si exigente o dono deve limitar o manuseamento ao estritamente necessário.

A maioria dos répteis perde o apetite assim que começam a mudar de pele. Alguns deixam de comer, outros apenas reduzem a quantidade de comida ingerida. As cobras podem suspender a alimentação assim que surgem os primeiros sinais de muda. Quando isto acontece, os répteis voltam à dieta normal assim que a muda termina.

É normal alguns répteis alimentarem-se da pele que mudam, o que não causa qualquer problema, desde que o terrário esteja limpo e o animal não tenha defecado na pele velha.

Lagartos: Iguana, Geckos, Camaleões, etc.


Os lagartos renovam a pele por partes, embora haja alguns geckos que façam a muda quase toda de uma só vez. Um dos sinais da renovação da pele é a mudança de cor: os sítios onde a pele se solta primeiro ficam mais pálidos. A renovação da pele geralmente começa na cabeça ou ao longo da espinha e a cauda é a última parte a renovar-se. O ritmo de muda difere de animal para animal, mas no geral, um lagarto faz a muda completa numa a duas semanas.

Um lagarto saudável muda de pele uma vez por mês ou de 6 em 6 semanas. Nos jovens em crescimento, a frequência pode ser maior.

No fim da muda é preciso verificar se a pele saiu dos espinhos, zona ocular, junto às unhas e na ponta da cauda. A pele morta que não sai pode ser responsável pela queda de espinhos e dedos.

Cobras


A muda de pele nas cobras é bastante particular. A pele das cobram sai inteira e virada do avesso, formando um tubo de pele esbranquiçada.

Antes de ocorrer a renovação de pele, a maioria das cobras fica com os olhos enevoados, esbranquiçados ou azulados. Os colubrídeos geralmente tornam-se mais claros, mas outras cobras escurecem, como por exemplo os boídeos.

A muda de pele só começa depois dos olhos regressarem à cor normal, geralmente no dia seguinte. No geral, as cobras mudam de pele uma vez por mês e a muda pode demorar um dia a duas semanas.

A zona mais problemática da muda das cobras é a região da cabeça. Inspeccione as escamas para se certificar de que não ficaram bocados de pele morta para trás.

Tartatugas


Tanto as tartarugas terrestres como as aquáticas e as semi-aquáticas mudam a pele. As tartarugas fazem a muda por partes, tal como os lagartos. A pele não se solta de uma só vez e tende a ficar pendente, o que por vezes assusta os donos inexperientes.
adicionar um artigo
Bookmark no site::
Del.icio.usDiggNewsVineDe.lirio.usBlinkbitsBlinklistBlogmarksCo.mmentsFarkFurlMa.gnoliaNetvouzRedditScuttleShadowsSimpyTailRankYahooMyWeb
Comentários (1)adicionar comentário
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.
18.04
fonsecafs disse:
Ótima matéria! Muito agradecido!!!!
rede vivapets:  Português Português English English Español Español Deutsch Deutsch