está aqui: home > artigos > top 5: os melhores lagartos de...

Envie a um amigo
Recomende o vivapets
de:


para:


mensagem:

[ enviar ]

 

Top 5: Os melhores lagartos de estimação

ARCADENOE.SAPO.PT

É um especialista sobre este tema? 
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.
Enviar este artigo a um amigo!
Preencha o formulário abaixo

o seu nome:
o seu email:
nome do seu amigo:
email do seu amigo:
comentários:
 
Quarta, 13 de Maio 2009

Top 5: Os melhores lagartos de estimação
Os lagartos são répteis cada vez mais populares no mercado de animais de estimação. A designação lagarto tem sido usada como sinónimo da sub-ordem dos Sáurios, Sauria ou Lacertilia, que exclui as cobras. Os lagartos são na sua maioria animais com escamas e quatro patas, com a devida excepção feita aos licranços, que apesar de serem lagartos perderam os membros no seu processo evolutivo.

A variedade entre as famílias de lagartos é muita: existem mais de 5 mil espécies de lagartos espalhados por todos os continentes, excepto na gelada Antártica. Apenas uma pequena parte destes animais é comercializada como animais de estimação. Mas a variedade disponível tende a ser cada vez maior e nem todos os lagartos são indicados para iniciantes no hobby.

A lista abaixo contempla alguns dos melhores lagartos de estimação que foram classificados tendo em conta a docilidade do animal, a facilidade de alojamento e de alimentação e a disponibilidade no mercado.

1 – Gecko Leopardo (Eublepharis macularius)


O Gecko Leopardo é uma óptima escolha para iniciantes. É um réptil pequeno, tem entre 18 e 25 cm em cativeiro, e um par é facilmente alojado num terrário de 60 x 40 x 40 cm. Pouco agressivos, são bastante tolerantes ao manuseamento.

São animais insectívoros, tendo os grilos como base de alimentação. Contudo, aceitam uma grande variedade de insectos que deve ser introduzida na dieta para a tornar mais diversificada. Podem tornar-se animais dispendiosos pois devem ser alimentados até rejeitarem a comida. Comilões, os adultos chegam a ingerir 10 a 15 insectos por dia, de dois em dois dias.

É fácil encontrar um gecko leopardo à venda e existem vários padrões, ou fases. O difícil é escolher.

Vantagens

Por ser um animal nocturno, não necessita do mesmo tipo de iluminação de um réptil diurno, ou seja, a lâmpada UVB pode ser de fraca potência ou mesmo dispensada.

Desvantagens

Ser um animal nocturno tem também os seus inconvenientes, sobretudo no que diz respeito à compatibilidade de “horários” com o dono. Isto é, o período de maior grau de actividade destes lagartos é inverso ao da maioria dos humanos, o que significa que o dono está a dormir quando estas osgas estão mais activas.

2 – Dragão Barbudo (Pogona vitticeps)


O Dragão Barbudo ainda se pode considerar um animal pequeno tendo em conta as dimensões máximas no mundo dos lagartos. Com 50 a 60 cm, o Dragão Barbudo tem de ser alojado num terrário já com um tamanho considerável: 90 x 50 x 50 cm é o aconselhado para um adulto.

Sociável e bastante expressivo, o Dragão Barbudo torna-se o ideal lagarto de contemplação e talvez um dos melhores em termos de sociabilidade com o dono. Tolera bem o manuseamento e é um animal que interage bastante com o dono, tendo em conta o seu “sangue frio”. É bastante activo no terrário.

Omnívoro, o Dragão Barbudo alimenta-se tanto de insectos como também de vegetais, o que faz com que a dieta seja mais complicada de gerir por donos inexperientes. O rácio entre vegetais e insectos varia ao longo da vida e deve-se tentar implementar um plano alimentar diversificado.

O Dragão Barbudo é um animal que se encontra facilmente à venda.

Vantagens

Apesar de exigir alguns conhecimentos que podem ser de difícil absorção para os iniciantes, a alimentação diversificada do Dragão Barbudo pode tornar-se uma mais valia. O facto da sua dieta não ser composta apenas por alimento vivo faz com que parte da sua dieta, os alimentos verdes, sejam de fácil acesso para o dono.

Desvantagens

O alojamento do Dragão Barbudo exige um terrário maior do que no caso do Gecko Leopardo. Para além disso, por ser um animal diurno, é necessário comprar todo o equipamento de iluminação necessário (lâmpadas) para simular a luz do sol.

3 – Lagartos de língua azul (Tiliqua scincoides)


Existem várias espécies de lagartos de língua azul. A mais comum é o Tiliqua scincoides. Para este lagarto, os cuidados são muitos semelhantes aos do Dragão Barbudo:

  • ambos são animais diurnos, necessitam do espectro total de lâmpadas;
  • não há uma grande diferença em termos de comprimentos, o Lagarto de Língua Azul pode atingir os 60 cm, e por isso as medidas do terrário são as mesmas
  • ambos são dóceis e permitem o manuseamento com alguma regularidade
  • ambos são omnívoros, alimentando-se tanto de insectos, larvas, etc. como também de vegetais, embora as proporções de vegetais e proteína animal não sejam as mesmas.

Existem contudo várias diferenças. Apesar do temperamento dos répteis variar conforme os exemplares, o Lagarto de Língua Azul é mais calmo do que o Dragão Barbudo, embora não tão dócil. O Lagarto de Língua Azul costuma aceitar mais facilmente os vegetais enquanto jovem do que o Dragão Barbudo e por isso torna-se mais fácil de alimentar.

Mas a maior diferença entre estes dois animais é provavelmente o preço. O Lagarto de Língua Azul não é um animal difícil de encontrar no mercado dos répteis de estimação, mas é, em média, mais caro do que os anteriores. Não existem grandes variedades de cores nesta espécie, sendo que a variedade albina é a única que se distingue, mas é rara e dispendiosa.

Vantagens

O Lagarto de Língua Azul tem uma longa esperança média de vida: entre 18 e 20 anos, o que pode acabar por compensar o investimento inicial.

São também animais bastante resistentes, sobretudo enquanto crias, quando comparados com outros répteis. Uma das razões é o facto de não se desenvolverem em ovos, mas nascerem vivos já completamente formados.

Desvantagens

O Lagarto de Língua Azul tende a defecar mais do que o Dragão Barbudo, o que exige uma maior manutenção do terrário. Há quem defenda que por isso, estes animais se dão melhor em terrários de exterior, maiores e mais arejados, do que em terrários interiores.

4 – Iguana Verde (Iguana iguana)


Existem também muitas espécies de iguanas, que variam no comprimento, cor, entre outros aspectos. A Iguana Verde é talvez o réptil mais popular em Portugal e o que mais facilmente se encontra à venda, o que muito contribui para posição em que se encontra neste top. Para além disso, era difícil excluir o lagarto mais popular entre iniciantes de um top pensado para eles.

A Iguana é um réptil de grande porte, que pode chegar a atingir os 2 m de comprimento. De todos os animais neste top é o mais difícil de alojar no interior. Necessitam de um terrário grande, 3 x 2 x 2 m, no mínimo.

As Iguanas Verdes são animais territoriais e devido ao seu grande porte e unhas proporcionalmente grandes podem causar feridas algo profundas nos donos que não sabem interpretar os seus sinais de desconforto. São contudo animais que permitem um grau considerável de manuseamento e há donos que afirmam terem mesmo conseguido ensinar a iguana a fazer as necessidades num determinado local.

A Iguana Verde é herbívora, alimentado-se exclusivamente de alimentos verdes. Este tipo de alimentação tem vantagens, pois não exige a criação de alimento vivo ou a constante preocupação com a compra/encomenda e disponibilidade de insectos nas lojas, mas também desvantagens, pois é necessário preparar diferentes saladas diariamente.

Vantagens

A Iguana Verde é um dos animais mais fáceis de encontrar no mercado, sendo o preço bastante acessível.

O facto de a Iguana Verde ser um animal já bastante comum no mercado torna mais fácil encontrar informação e veterinários experientes nesta espécie.

São animais que toleram bem o manuseamento.

Desvantagens

O tamanho de uma Iguana Verde pode ser complicado de gerir na maioria das casas, já que poucas pessoas têm espaço para reservar um local de 3 m por 2 m num canto da casa.

A falta de informação sobre a Iguana pode degenerar em animais agressivos capazes de inflingir ferimentos graves no dono.

5 – Anolis Verde (Anolis carolinensis)


O Anolis Verde é o animal mais pequeno desta lista. Tem entre 15 e 18 cm, mas necessita de um terrário maior do que aquilo que se poderia pensar inicialmente. Estes répteis devem ser mantidos em grupo, um macho e várias fêmeas, e para um grupo de 4 animais, é necessário um terrário de 50 x 40 x 35 cm.

São animais dóceis, mas tímidos com humanos e não gostam de ser manuseados. Se estiverem confortáveis no terrário, dão bons animais de contemplação, já que se tornam mais extrovertidos.

O Anolis Verde alimenta-se de insectos e ocasionalmente larvas. São animais que comem muito pouco quando comparados com o Gecko Leopardo e o Dragão Barbudo, ficando-se por 2 grilos por dia, em média.

O Anolis Verde não é um animal particularmente difícil de encontrar e o único problema pode ser a aquisição, como convém, de vários exemplares para o mesmo terrário. Como são animais de que se reproduzem facilmente, não é difícil encontrar um criador com exemplares para venda.

Vantagens

Apesar de necessitarem de luz UVA/B não necessitam de lâmpadas muito potentes. A alimentação é económica.

Desvantagens

Os Anolis Verdes são répteis de contemplação e a interacção com o dono é muito reduzida.
adicionar um artigo
Bookmark no site::
Del.icio.usDiggNewsVineDe.lirio.usBlinkbitsBlinklistBlogmarksCo.mmentsFarkFurlMa.gnoliaNetvouzRedditScuttleShadowsSimpyTailRankYahooMyWeb
Comentários (1)adicionar comentário
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.
19.05
maikmkrudy disse:
No brasil tambem tem o teiu que hoje ja se encontra nas melhores petshop do brasil e com varias pessoas que criam em casa e que bem cuidado se torna um membro da casa!!!!
rede vivapets:  Português Português English English Español Español Deutsch Deutsch