está aqui: home > artigos > filtro: o aparelho indispensáv...

Envie a um amigo
Recomende o vivapets
de:


para:


mensagem:

[ enviar ]

 

Filtro: O aparelho indispensável nos aquários

ARCADENOE.SAPO.PT

É um especialista sobre este tema? 
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.
Enviar este artigo a um amigo!
Preencha o formulário abaixo

o seu nome:
o seu email:
nome do seu amigo:
email do seu amigo:
comentários:
 
Quarta, 09 de Junho 2010

Filtro: O aparelho indispensável nos aquários
Um aquário pretende ser um pedaço de natureza que os aquariofilistas trazem para casa. Mas por muito que queiramos imitar a natureza, há sempre limitações. Por isso, os aquários necessitam sempre de manutenção. A principal razão para que o aquário tenha de ter filtros, bombas de oxigénio e trocas parciais de água deve-se sobretudo à elevada densidade de peixes que os aquário têm em relação ao que se verifica nos lagos, rios, mares e oceanos. Nos aquários, é aconselhado como medida genérica ter-se 1 litro de água por cada centímetro de peixes, um valor que está muito distante do que acontece na natureza.


Tipos de filtragem




Mecânica


A filtragem mecânica é responsável pela eliminação das partículas que bóiam no aquário, sobretudo fezes e restos de comida. O perigo destes detritos é o de serem a base para a produção de amónia, tóxica para peixes, mesmo em quantidades diminutas. Ao removê-los antes que se decomponham, a filtragem mecânica é uma espécie de prevenção. Contudo, a filtragem mecânica não chega para evitar que os valores de amónia subam no aquário, sobretudo num aquário com uma densidade considerável de peixes. Este tipo de filtragem é o mais pretendido pelos aquariofilistas inexperientes que se preocupam sobretudo com o aspecto da água. Tirando algumas excepções, os peixes geralmente estão habituados a ter partículas na água e raramente vivem em águas tão cristalinas como aquelas que queremos manter nos aquários.

Biológica


A filtragem biológica é a mais importante no aquário já que vai estimular o crescimento de bactérias responsáveis pela manutenção da qualidade da água. Estas bactérias transformam as substâncias tóxicas, amónia e nitritos, em substâncias não tóxicas, nitratos. É possível manter um aquário com apenas a filtragem que ocorre naturalmente no aquário, isto é sem um depósito, filtro, onde as bactérias se possam desenvolver. Contudo, a densidade de peixes tem de ser extremamente reduzida, o que não é muito frequente encontrar. Geralmente os aquários tendem a estar sobrepopulados. Nestes, os peixes não conseguem sobreviver sem um filtro biológico, isto porque numa questão de horas, os valores de amónia podem disparem para níveis tóxicos para os peixes.


Química


A filtração química é responsável pela eliminação dos detritos dissolvidos na água. Muitas vezes, isto é conseguido através da utilização de carvão activado granulado no filtro. O carvão activado granulado também elimina odores. Um dos contras da sua utilização é a necessidade de o substituir periodicamente. Se a substituição não for feita atempadamente, aquilo que foi removido pelo carvão, pode ser enviado de volta ao aquário.

É também usado zeolite, que elimina a amónia do aquário e pode ser uma medida de urgência eficaz. É geralmente usado quando se pretende clicar um novo aquário. Mas a introdução deste material atrasa a realização do primeiro ciclo.


Tipos de filtros



Filtros internos



Os filtros internos são aparelhos que ficam completamente submergidos no aquário. Diminuem por isso a capacidade de litros do aquário. São geralmente preteridos em relação ao filtros externos, mas têm a seu favor o preço baixo.


Filtros de canto


Este tipo de filtros são internos e, como o nome indica, geralmente colocado no canto do aquário. São funcionais em aquários pequenos, pois são capazes de realizar uma filtragem mecânica, biológica e química eficiente. Não resultam contudo em aquário de média ou grande dimensão. A vantagem destes filtros é terem um preço imbatível, pois são os mais comuns e baratos no mercado. Contudo, estes filtros exigem muita manutenção, que não é propriamente fácil. O filtro tem de ser completamente retirado do aquário, o que desregula o ciclo. Para além da manutenção, outra desvantagem deste filtro é ocupar espaço no interior do aquário e reduzir assim o espaço disponível do mesmo. Tendo em conta que este filtro é indicado apenas para aquários pequenos, o espaço que ocupa, pode ser significativo.


Filtros Biológicos de Fundo


Estes filtros oferecem apenas uma filtragem biológica. São óptimos filtros para criar colónias de bactérias, mas como não removem os detritos da água, criam uma camada de sujidade no fundo do aquário. Por isso, estes filtros só podem ser usados em conjunto com um aspirador próprio para remover os detritos. Mas é comum não se conseguir retirar toda sujidade com um aspirador e ao longo do tempo cria-se um amontoado de lixo perigoso para os peixes. Outra desvantagem é que para limpar o filtro e corrigir essa situação é necessário desmontar toda a decoração do aquário, pois estes filtros são instalados por baixo do areão.


Filtros de Esponja


Os filtros de esponja apenas permitem uma filtragem biológica e têm por isso as mesmas desvantagens que o filtro anterior por não realizar nenhum os outros tipos de filtragem. Os filtros que têm duas esponjas permitem contudo fazer uma manutenção individual das esponjas, o que não vai quebrar o ritmo do ciclo do aquário. Pode por isso ser uma boa solução para aquários se forem acompanhados de trocas parciais de água frequentes.


Filtros externos


Os filtros externos são os mais apreciados pelos aquariofilistas experientes. São mais caros, mas são mais eficazes e não exigem tanta manutenção: tanto em termos de limpeza do filtros como também em termos de trocas parciais de água do aquário. São mais práticos, pois são mais acessíveis, e são os únicos a oferecer uma filtragem completa e eficaz para aquários de grande capacidade.


Filtros de pendurar


Existe uma grande variedade filtros externos que se penduram no aquário. São talvez os filtros mais vendidos em kits. A maioria permitem a filtragem mecânica, aspiração da água e detritos, biológica, presença de espuma, e ainda química, carvão. Estes filtros exigem alguma manutenção periódica, mas a limpeza é feita de forma fácil. É necessário algum cuidado com os alevins que podem ser sugados pelo aspirador.


Filtros Canister


Este tipo de filtros são geralmente mais caros, mas são os mais eficientes. Funcionam de forma semelhante aos filtros que são pendurados no aquário, mas estão projectados com diversas camadas de agentes filtrantes e têm geralmente uma filtragem mecânica mais potente. A desvantagem é que são um pouco maiores do que os filtros anteriores, mas podem também ser pendurados no aquário. Os mais pesados têm de ser pousados ao lado ou atrás do aquário.


Se pretende apostar nos processos naturais, adicione plantas e peixes-limpadores ao aquário, mas lembre-se que é o filtro que fornece abrigo às bactérias que tornam o aquário um lugar seguro para os peixes viverem.
adicionar um artigo
Bookmark no site::
Del.icio.usDiggNewsVineDe.lirio.usBlinkbitsBlinklistBlogmarksCo.mmentsFarkFurlMa.gnoliaNetvouzRedditScuttleShadowsSimpyTailRankYahooMyWeb
Comentários (1)adicionar comentário
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.
09.06
Catih disse:
Dever-se-á colocar um filtro mesmo naqueles aquários redondos pequenos? Para betas. Muito bom!
rede vivapets:  Português Português English English Español Español Deutsch Deutsch