está aqui: home > artigos > glândulas anais: prevenir e tr...

Envie a um amigo
Recomende o vivapets
de:


para:


mensagem:

[ enviar ]

 

Glândulas Anais: Prevenir e tratar problemas

ARCADENOE.SAPO.PT

É um especialista sobre este tema? 
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.
Enviar este artigo a um amigo!
Preencha o formulário abaixo

o seu nome:
o seu email:
nome do seu amigo:
email do seu amigo:
comentários:
 
Segunda, 28 de Fevereiro 2011

Glândulas Anais: Prevenir e tratar problemas
Não é um assunto que seja agradável de ler, nem que interesse a muitos donos, a não ser quando as glândulas anais começam a dar problemas nos cães.

As glândulas anais são, tal como nome indica, dois pequenos sacos que se encontram junto ao ânus do cão, um de cada lado.

Estes sacos armazenam um fluído com um cheiro muito intenso que os cães utilizam para marcar território. De facto, o líquido que se encontra nestas glândulas contém feronomas que quando cheiradas dão aos cães muita informação bioquímica sobre o animal em causa e são por isso uma espécie de Bilhete de Identidade dos animais. Se estiver atento quando apresenta o seu cão a outro, pode reparar que os cães procuram sempre esta zona para cheirar. Geralmente o cão que está a ser “investigado” coloca a cauda em riste, o que faz uma ligeira pressão sobre as glândulas anais que permite libertar algum fluído para o outro cheirar. É claro que para os humanos o cheiro passa despercebido, pois apesar de o cheiro ser intenso, a quantidade libertada é mínima. Os cães conseguem captar o cheiro, porque têm um olfacto muito mais desenvolvido.

Assim, quando tudo funciona bem, os donos não dão pela existência destas glândulas. Mas quando surge algum problema e os fluídos acumulam-se, o mau cheiro torna-se difícil de ignorar.

As glândulas anais são esvaziadas naturalmente quando o cão defeca. A pressão das fezes faz com que uma pequena parte do fluído seja libertado de cada vez. Muitos cães vivem sem nunca ter tido qualquer problema com as glândulas anais, mas outros, podem não conseguir esvaziar naturalmente os sacos e por isso desenvolver complicações ao nível da saúde.

Problemas nas glândulas anais


A acumulação dos fluídos torna-os mais espessos e por isso incómodos. O facto de não haver renovação do líquido, torna-o também ideal para o desenvolvimento de bactérias que podem dar origem a infecções e abcessos, ou seja ao inchado da glândula anal. Nos casos mais graves, pode-se desenvolver uma fístula que vai drenar o pus.

Causas


As causa para a acumulação dos fluídos são várias e pode depender de questões ambientais, outros problemas de saúde ou má localização das próprias glândulas.

Fezes moles ao serem expelidas não vão exercer pressão suficiente para esvaziar as glândulas. As fezes moles podem ter muitas causas, desde uma ração de pouca qualidade, a parasitas internos, antibióticos, etc.

O enfraquecimento dos músculos que exercem pressão sobre as glândulas também pode ser outro problema. Animais obesos ou idosos podem naturalmente perder força nos músculos.

O esvaziamento regular e não necessário das glândulas anais por parte de groomers ou veterinários pode levar à lesão das glândulas, que ficam dependentes deste procedimento.

A obstrução do canal por onde o líquido é expelido, causando a acumulação de fluído, pode ser causado por infecções no sistema gastrointestinal ou urinário. Os cães com alergias também estão mais predispostos a ter problemas nas glândulas anais.

Mau posicionamento das glândulas anais, que se encontram mais no interior do ânus e por isso a pressão das fezes não é suficiente para as esvaziar. Este problema surge geralmente nos cães de porte pequeno.

Assim, exceptuando neste último caso, a incapacidade de esvaziar as glândulas anais deve-se a outros problemas. Torna-se por isso mais importante consultar o veterinário para saber se o problema nas glândulas anais não está a mascarar outra situação.

Sintomas


Os problemas nas glândulas anais são bastante incomodativos para os cães, pois causam um prurido, ou comichão, intenso. Quando os cães têm dificuldade em esvaziar as glândulas anais é comum arrastarem a zona traseira pelo chão, procurando assim minorar o desconforto. Podem também tentar coçar a zona com a boca, mordendo ou lambendo. Por vezes alguns cães mantém a cauda entre as pernas. Para os donos, o mais incomodativo é o cheiro desagradável e intenso.

As glândulas anais inchadas são fáceis de detectar à vista desarmada, pois a zona junto ao ânus do animal fica vermelha e saliente.

Tratamento


Quando a acumulação de líquido não é excessiva, é possível esvaziar manualmente as glândulas de forma rápida e fácil. Para isso basta exercer pressão com os dedos sobre cada saco de cada vez. Isto pode ser feito interna ou externamente. O veterinário ou mesmo um groomer, profissional no banho e corte de pêlo dos cães, podem-lhe explicar o procedimento. Ao esvaziar as glândulas é expelido um líquido visível que marca o fim do procedimento.

Os cães sem problemas nas glândulas anais não devem ser sujeito ao esvaziamento por rotina. Faça check-ups frequentes para verificar se as glândulas do animal não estão inchadas e só esvazie manualmente quando necessário. O esvaziamento por rotina pode causar pequenas lesões que tornam o cão incapaz de esvaziar naturalmente os sacos.

Nos casos em que os animais não conseguem esvaziar naturalmente as glândulas, estas devem ser esvaziadas periodicamente pelo dono, caso tenha aprendido o procedimento, ou por um profissional. O esvaziamento das glândulas é um procedimento que não causa qualquer desconforto ao animal, desde que a acumulação do fluído não seja excessiva.

Se a acumulação do fluído for excessiva, a consistência do líquido altera-se, tornando-se mais espesso e é mais difícil fazer expelir a substância. Deve por isso ir ao veterinário para que este analise o caso. Se ocorrer uma infecção, pode ser necessário a prescrição de antibióticos.

O esvaziamento manual das glândulas anais só se aplica quando o problema é o mau posicionamento das mesmas. Se o que estiver a causar a acumulação de fluído forem fezes moles, problemas no sistema gastrointestinal ou urinário, alergias, entre outros, a resolução passa por tratar estes problemas, visto que não existe qualquer problema no esvaziamento das glândulas per si.

A periodicidade com que tem de ser feito o esvaziamento das glândulas anais varia bastante de animal para animal. Em alguns cães, o esvaziamento tem de ser feito com poucas semanas de intervalo, noutros podemos falar em meses.

Apesar de tudo, os donos devem ter noção de que o problema tem tratamento, que mesmo que seja frequente, é rápido e eficaz.

Em casos extremos, é possível remover cirurgicamente as glândulas anais, mas este procedimento só é aconselhado nos casos em que o esvaziamento regular da glândulas não é solução. Existem várias complicações que podem surgir, sendo uma delas a incontinência temporária ou permanente.
adicionar um artigo
Bookmark no site::
Del.icio.usDiggNewsVineDe.lirio.usBlinkbitsBlinklistBlogmarksCo.mmentsFarkFurlMa.gnoliaNetvouzRedditScuttleShadowsSimpyTailRankYahooMyWeb
Comentários (6)adicionar comentário
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.
04.03
BetaBrito disse:
Felizmente os meus cães estão acompanhados por bons veterinários, sempre que lá vou examinam o cão ao pormenor, quando vi eles a esvaziarem as glândulas fique espantada pois não estava informada.
04.03
amicogato disse:
Muito intrigante, interessante mesmo...vivendo e aprendendo,,,,já havia observado esse comportamento, cães arrastando-se pelo chão e nunca soube o porquê.
02.03
Lequinhas disse:
Infelizmente também conheço bem este problema, através do meu Gato :( Só demos por isso quando rebentou e abriu uma cratera. É muito doloroso para o animal...
01.03
AnasMaria disse:
o meu cao sofre deste problema tem que se esvaziar de x em quando manualmente, a primeira x que lhe foi detectacto o problema ele ja tava num estado que deixou de comer brincar etc fui com ele ao vet e disseram me que ele teria uma gastrite passou um antibiotico e a noite o meu cao começou a ir com a boca ao sitio de tal forma que abriu buraco, fui com ele po hosp veterinario onde me disseram que apesar de td ainda bem que rebentou para fora pk se tivesse rebentado internamente que poderia ter sido um caso serio e poderia nao ser detectado a tempo de se fazer algo..gastei uma fortuna mas agora assim que ele da sinais a arrastar o rabo vou logo ao vet.
28.02
Cabedo disse:
Eu tenho um chihuahua que tem esse problema e só vai à veterinária esvaziar as glândulas quando estas estão muito cheias, altura em que não faz o esvaziamento por si.
28.02
josete disse:
Outra situação que alguns cães “soltam as glândulas” é em BRIGAS. Quando cães sentem medo, dor ou ira esta glândula entra em ação e solta o líquido fétido. Em alguns casos é para espantar os “predadores”, é como uma defesa natural que possuem. Minha dog alemão brigou duas vezes em quase seis anos e nas duas vezes ela soltou a glândula. O Mastin Napolitano quando briga também solta a glândula. Os cães de fila brasileiro sempre soltam as glândulas quando brigam, sempre.
rede vivapets:  Português Português English English Español Español Deutsch Deutsch