está aqui: home > artigos > fisioterapia em cães

Envie a um amigo
Recomende o vivapets
de:


para:


mensagem:

[ enviar ]

 

Fisioterapia em cães

A Fisioterapia já é uma realidade na recuperação fisica de animais....

ARCADENOE.SAPO.PT

É um especialista sobre este tema? 
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.
Enviar este artigo a um amigo!
Preencha o formulário abaixo

o seu nome:
o seu email:
nome do seu amigo:
email do seu amigo:
comentários:
 
Sexta, 15 de Fevereiro 2002
Autor: Hospital Veterinário Principal

Fisioterapia em cães
Quando um cão era submetido a uma cirurgia ortopédica até há poucos anos o conselho do veterinário após este ir para casa era de efectuar pouco exercício e mantê-lo calmo. Hoje em dia é comum os donos levarem indicações de certos exercícios que devem efectuar para mais rapidamente o cão regressar à sua forma física.

A fisioterapia começou a ser aplicada na clínica de grandes animais, mais concretamente em cavalos no início do anos 70, e era uma mera adaptação de técnicas e conhecimentos adquiridos em Medicina Humana.

Porém, nos últimos anos sofreu um desenvolvimento rápido permitindo aparecimento de técnicas específicas para pequenos animais, com resultados, em alguns casos, superiores aos obtidos em seres humanos.

A grande aceitação por parte de Veterinários e Proprietários de Animais é potenciada pelo facto de usar técnicas não invasivas no combate a dor, na recuperação funcional da região comprometida, na profilaxia de futuras lesões articulares, e na melhoria da qualidade de vida do animal. Tornou-se assim uma técnica auxiliar da Ortopedia. O tipo, o número, as e a duração de cada sessão sempre irão depender da patologia do animal e da resposta do animal à terapia.

Um exemplo: A Hidroterapia

A hidroterapia como o seu nome indica é um tipo de fisioterapia, que utiliza exercícios na água para recuperar ou melhorar a performance de grupos musculares. É uma terapia bastante antiga, que nas últimas décadas sofreu um impulso maior devido a sua utilização sistemática, basicamente na recuperação de deficientes físicos. É crescente, também , o número de profissionais que indicam este tipo de terapia, embora ainda esteja a dar os seus primeiros passos em Portugal devido aos elevados investimentos em formação de pessoal e instalações específicas que requer.

É preconizada em quase todos os problemas em que se procura um condicionamento ou recuperação da musculatura sem o trauma resultante do impacto causado pela corrida na estrutura esquelética. Incluem-se as artroses, patologias da coluna, tratamentos pós-cirúrgicos em ortopedia, e, principalmente, displasia coxo-femural. Na maior parte desses problemas, a hidroterapia é utilizada conjuntamente com outras terapias, inclusive a medicamentosa, mas como fisioterapia é considerada a melhor opção.

Em número de casos, a displasia coxo-femural é a patologia mais beneficiada pela hidroterapia. O aumento da musculatura da coxa, associado ao efeito anti-inflamatório causado pela vaso-dilatação devido à temperatura quente da água, melhoram a sintomatologia através do fortalecimento da articulação com diminuição sensível da dor O resultado do tratamento depende da idade e do grau de displasia. Animais jovens, com poucas lesões articulares e não obesos, obterão resultados mais rápidos e evidentes.

A agua é aquecida para permitir o uso nos períodos frios e não comprometer o exercício muscular: Pode ser utilizada desde uma piscina normal até os chamados moinhos de água e esteiras adequadas para cães. Alguns cães com receio da água terão que passar por uma adaptação à mesma de forma a efectuarem os exercícios satisfatoriamente e sem stress.

Cadeiras de rodas?

É verdade, para os animais cuja recuperação dos quartos traseiros não seja possível existem disponíveis cadeiras de rodas especiais, chamadas K9 carts que lhes permitem dentro da medida do possível ter uma vida o mais próximo do normal.

Estas só se encontram disponíveis no nossos país por importação e são necessárias fazer adaptações especificas para cada animal. No entanto, tendo em vista os cuidados específicos que se deve ter, cada caso deve ser estudado com o veterinário assistente de forma a verificar se será a solução mais adequada.
Comentários (1)adicionar comentário
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.
03.09
Xaru disse:
Muito boa a matéria. Sempre que puderem anuncie mais sobre esse tema.
rede vivapets:  Português Português English English Español Español Deutsch Deutsch