está aqui: home > cães > boxer

Envie a um amigo
Recomende o vivapets
de:


para:


mensagem:

[ enviar ]
Adionar a página aos Favoritos 

Boxer

O simpático da família!

Boxer
origem:Alemanha
data de origem:século XIX
esperança de vida:10 a 12 anos
classificação:Cães de Trabalho
altura:53 para 63 cm
peso:25 para 32 kg
exercício: Exigentetreino: Razoávelclima: Temperadointerior/exterior: Dentro de casaalimentação: Médiotamanho: Médio
Adicionar aos meus items favoritosÉ um perito nesta raça?envie esta página a um amigoadicione um comentárioadicione um link
Adicione esta raça aos seus tópicos favoritos
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.
É um perito nesta raça?
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.
envie esta raça a um amigo!
Preencha o formulário abaixo

o seu nome:
o seu email:
nome do seu amigo:
email do seu amigo:
comentários:
 

História [ editar ]

Apesar do nome “Boxer” soar a inglês, o Deutscher Boxer é originário da Alemanha. Pensa-se que o nome desta raça vem da forma como investe contra as presas, apoiando-se nas patas de trás e levantando as patas da frente, gesticulando, similar ao jogo de mãos de um pugilista, dito tanto em inglês como em alemão: “boxer”. Outra corrente defende que o nome “Boxer” deriva da palavra alemã “boxl”, nome dado aos cães que trabalhavam em matadouros.

Segundo o estalão, o Brabant Bullenbeisser é o directo antecessor desta raça. Estes cães, também conhecidos como Buldogues Alemães, eram utilizados na caça ao javali e veado na Alemanha e Terras Altas. O papel dos Bullenbeissers era o de agarrar a presa e segurá-la até à chegada do caçador. O focinho recuado permitia a estes animais continuar a respirar normalmente enquanto prendiam a presa entre os dentes.

Os exemplares com uma dentada mais poderosa e força eram os escolhidos para perpetuar a raça, contudo a preferência por exemplares mais rápidos alterou o aspecto daquele que viria a dar lugar ao Boxer. Ao longo dos séculos, o Boxer já fez um pouco de tudo, desde pastor, artista de circo, luta com touros, entre outras actividades.

O clube da raça foi fundado em 1895 na Alemanha. A partir do século XIX, a raça começou a tornar-se cada vez mais popular, sobretudo como cão de guarda e companhia. A procura por um Boxer dócil com a família, veio atenuar o ímpeto agressivo que a raça inicialmente possuía. O estalão do Boxer foi aprovado pelo AKC em 1904.

Hoje em dia, o Boxer é uma raça bastante popular em Portugal e também por todo o mundo. Os Estados Unidos da América não foram inicialmente adeptos desta raça, mas em meados do século XX, depois de um Boxer ter ganho o título “Best in Show” a raça foi cada vez mais procurada.
a editar: História [ fechar ]
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.

Temperamento [ editar ]

O Boxer é um exemplo do sucesso na história da canicultura. É talvez o ideal cão de família: tem um aspecto feroz e alma de guardião que lhe permite afastar os estranhos com um uivo; mas é ainda companheiro, sendo especialmente dócil com crianças. O porte médio permite-lhe ser suficientemente grande para ser um cão de guarda, mas não demasiado grande para impedir que brinque com crianças.

O Boxer não precisa de ser violento na actividade de guarda. Quando se avizinha um estranho prefere aguardar e observar. Se sentir perigo, dá o alerta, ladrando. O cão só ataca em último caso.

O Boxer tem um amadurecimento tardio, o que o torna activo e brincalhão durante longos anos. O cão torna-se adulto por volta dos 2 anos, 2 anos e meio.

Devido à sua lealdade e vontade de agradar é fácil de treinar. É algo teimoso, por isso os donos devem usar o reforço positivo na sua educação. A sua desconfiança em relação a estranhos exige uma forte socialização. Esta raça tolera cães pequenos e mesmo gatos, se for habituado com eles desde pequenos, mas tende a reagir agressivamente com outros cães de porte médio ou maior, sobretudo se forem do mesmo sexo.

O Boxer pode ser mantido num apartamento, se for suficientemente exercitado. Para além dos passeios diários, este cão necessita de algum exercício extra: brincadeira, corrida, etc.
a editar: Temperamento [ fechar ]
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.

Aparência Geral [ editar ]

De carácter activo e ruidoso, o Boxer apresenta um aspecto físico mais pequeno e ágil que outras raças mastins. De porte médio, os cães devem ter entre 57 e 63 cm e as fêmeas 53 a 59 cm. Os cães com 60 cm devem pesar mais de 30 kg, as cadelas com 56 cm devem rondar os 25 kg.

O Boxer apresenta uma estrutura robusta e forte combinada com uma expressão bonacheirona. A sua cabeça é volumosa e arredondada, com um stop bastante pronunciado. O nariz é largo, curto e preto. Os olhos são redondos e de cor castanha a escura. A mandíbula ultrapassa a maxila (prognatismo), sem que, no entanto, fiquem visíveis a língua e os dentes inferiores quando a boca está fechada. As orelhas de inserção alta, são de tamanho médio e não devem ser cortadas. Caem dobradas para a frente, ficando o cão com uma expressão mais amigável, quando se encontram em repouso.

O pescoço é entroncado e forte e o dorso firme e musculoso. Os membros anteriores são verticais e musculosos e os posteriores ligeiramente arqueados. A cauda é de inserção alta e deixada ao natural.

Curto e brilhante, a pelagem é espessa ao toque. As cores permitidas são o castanho e o tigrado. O Boxer castanho possui uma máscara negra que se limita ao focinho. As manchas brancas só são consideradas defeito se ultrapassarem um terço do total da pelagem e se cobrirem a totalidade ou metade da cabeça.

a editar: Aparência Geral [ fechar ]
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.

Saúde [ editar ]

Infelizmente, o Boxer é um cão relativamente frágil em termos de saúde. Tem uma esperança média de vida relativamente curta, característica de cães de porte maior.

O Boxer é particularmente afectado pelo tempo demasiado quente ou demasiado frio. No nosso país é preciso ter cuidado as altas temperaturas que se fazem sentir no Verão. O Boxer deve ser exercitado ao mínimo nesses dias, apenas passeio a passo lento e no início e final do dia ou noite, de forma a evitar os picos de temperatura. Água fresca e sombra devem sempre estar disponíveis. Devido à forma do focinho, o calor faz com que o Boxer tenha dificuldade a respirar e o sobreaquecimento do corpo pode afectar o sistema cardíaco.

Os tumores, sobretudo a partir dos oito anos, problemas cardíacos e alergias são algumas das maiores preocupações nesta raça. Os donos também devem estar atentos a problemas oculares, torção do estômago e displasia canina.

Apesar de o Boxer branco estar fora do estalão e a sua criação não ser desejável, devido à sua recente popularidade, tona-se importante referir no perfil da raça que os cães brancos estão mais predispostos à surdez. O Boxer branco não é excepção.
a editar: Saúde [ fechar ]
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.

Higiene [ editar ]

Os Boxers são famosos por ressonar e babar. Apesar disso, são cães limpos com um reduzido “odor a cão”.

Os cuidados com o pêlo desta raça são mínimos. Escovagens semanais são suficientes para manter o pêlo limpo. O banho só deve ser dado, quando for extremamente necessário, uma vez que reduz a oleosidade natural da pele, que lhe confere protecção.

O Boxer larga bastante pêlo durante todo o ano.
a editar: Higiene [ fechar ]
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.
Adicionar novo bloco [ adicionar ]
adding: [ fechar ]
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.
[ É um perito nesta raça? Editar esta descrição(moderado) ]
Comentários (87)adicionar comentário
Esta funcionalidade exige que esteja registado no VIVAPETS

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.
24.07
MariaJion disse:
Que bom ter descoberto os vossos comentários àcerca dos Boxers! Eu tive uma boxer há 25 anos. Pelas voltas que a minha vida levou tive que dar a minha companheira ao fim de 7 anos. Não me arrependo porque foi o melhor para ela: viveu até aos 13 anos com o seu novo dono que ela, sedutora como só as boxers sabem ser, conquistou. Ele cuidou dela e gostou dela como se lhe pertencesse desde bébé. Chorámos juntos a sua partida. Entretanto os anos foram passando e nunca consegui esquecer a falta que ela me fez. Foi uma cadelinha muito especial, muito dedicada, bem disposta e feliz. Este ano a minha filha fez 18 anos. A faculdade está assegurada e o seu futuro encaminhado.Não tenho mais que pensar que ao gastar dinheiro numa boxer estaría a "esbanjar". Falei com amigos meus, criadores de boxers (um deles porque em miúdo era apaixonado pela Jion) e expliquei-lhes a boxer que pretendía: leonada, com máscara branca. E não é que tinha nascido uma com estas características na Maia ... Tem agora 7 meses e vocês desculpem-me mas é a boxer mais linda do mundo. Quem a vê connosco diz que ela teve muita sorte... mas nós é que somos os sortudos. É adoravel e malandreca, meiga e teimosa, simpática, sociável e protectora e ainda só tem 7 meses. Não substitui a outra Jion, mas é a melhor forma de matar saudades. Comparo-a vezes sem conta, é inevitável, mas serão sempre as duas as melhores cachorras do mundo. Um abraço para todos... e a Jion, deitada aqui ao meu lado, está a mandar-vos uma lambiçoca :)
11.09
bodo disse:
Olá a todos, desculpem, mas venho aqui desabafar, apesar de esconder, e tentar mostrar que tudo está bem, estou com uma angustia enorme dentro de mim, e não tenho junto de mim, quem eu gostava para poder desabafar, perdi a minha menina no dia 30 de Agosto, foram uns meses de luta contra o cancro, tratmentos de quimioterapia, exames e mais exames, mas nada resultou, e tive de adormecer a minha menina nos meus braços e junto a mim duas pessoas maravilhosas que sempre me apoiaram e ajudaram imenso, o desgosto que sinto dentro de mim não tem explicação, e só entende quem tem esta paixão por animais, e principalmente pelos Boxeres, tenho mais três, o Box, o Jiggy e o Bodo, mas como cada um é sempre diferente do outro, nenhum se pode subestituir, e o vazio deixado pela Bora, esse nunca poderá ser ocupado, tenho Boxeres há mais de vinte e cinco anos, sei que infelizmente eles duram muito menos do que nós desejamos, mas nunca me hei-de habituar a essa lei da natureza, a minha menina que sempre estava a meu aldo fosse onde fosse, já não está mais, e a falta que eu sinto dela, nem o carinho e o amor que todos os outros me dão chegam para abafar este sofrimento. A minha BORA apenas quero agradecer o facto de ela ter existido na minha vida, e por todo o amor que me deu, e aos meus dois Anjos que sempre estiveram ao meu lado, e elas sabem quem são, a minha eterna gratidão e amor, bem hajam meus amores!!!!!!!
30.08
ediluck disse:
já tive vários caes desta raça. sao fantasticos!!!
21.06
ct1bsd disse:
A minha Diana e o meu York morreram ambos em Dezembro de 2012, ela com 15 anos e meio e ele com quase 12, morreram com 5 dias de diferença, ela primeiro e depois ele, acho que apesar de ele estar muito doente acho que sentiu a falta. A Diana nunca teve problemas nenhuns dos Boxers, apenas no fim apareceu uma massa grande no Abdomem que não se conseguir controlar e ele tinha tudo e mais alguma coisa dos boxers. Até acupunctura fizeram e posso dizer-vos que vários problemas foram resolvidos com as milagrosas agulhinhas. Pode ser que um dia destes apareça outro.
09.02
LiFerreira disse:
Pois eu tenho o meu Napo, um boxer branco com mais ou menos cinco anos, não se sabe muito bem a sua idade porque adoptei-o numa protectora (em Espanha os canis são só para abate) conto-vos a sua história: O Napo foi abandonado, não se sabe por ter leishmaniose, mas foi abandonado, a protectora recolheu-o e depois de todo o tratamento, os ciganos foram à protectora rouba-lo para cão de caça, sim porque os ciganos espanhois usam os boxers como cães de caça, depois a guardia civil encontrou-o atado à roda de um carro. Avisaram a protectora e quando foram busca-lo estava num estado ainda mais deplorável, tinha sarna, não tinha pêlo e estava muito fraquinho, para quem tem cães com leismaniose sabe que os cães necessitam tomar comprimidos todos os dias da sua vida. Nessa altura eu queria adoptar um animal de porte grande, sempre gostei de cães grandes, mas como vivia num apartamento seria um pouco complicado e pensei em ir pelo cão mais doente que estivesse na protectora, e foi assim que o encontrei, fui fazer uma reportagem nessa protectora e o unico cão que nem se levantou do fraco que estava era o meu Napo, nesse momento quiz leva-lo para casa, mas o cão ainda necessitava ser esterelizado e levar as vacinas e combinei de ir por ele no fim de semana a seguir, embora me tenham dito que esse cão não viviria nem dois meses, de como estava mal nutrido, mas a ver se com o carinho e atenção se podia fazer algo. Fui busca-lo no domingo, não tinha pêlo, estava super magro, etc, etc, etc. Entretanto uma das voluntarias da protectora perguntou-me se eu não queria levar mais duas breton español qua ainda tinham os olhos fechados, que se ninguem quizesse ficar com elas, teriam que as abater depois do almoço porque a capacidade da protectora já tinha sido excedida havia muito tempo; trouxe tambem as cadelinhas. Quando chegou a casa, só queria dormir, nem comer nem nada, se bem que o desgraçado como devia ter passado tanta fome sempre teve o recipiente da comida cheio, fosse a que horas fosse. Resultado, o Napo hoje tem o mãe que faz tudo por ele, e tem uma irmã que adora, é um pouco burrinho para aprender as coisas, mas assim que aprende nunca mais esquece, é teimoso como só ele, dorme as suas 21 horas por dia, continua a estar num apartamento num país diferente, é louco por queijo, embora a quantidade que lhe dou é minima, uma fatia por cada seis meses porque sei que é mau para a sua saúde, adora bolas de sabão, bolas, morder nos pés de quem corre e mimos de todos, até do veterinário que diz que é o unico cão que tem que mexe a cauda cada vez que o vê. Estou com ele e a Pequeñita há já dois anos e meio quase, e estamos todos muito felizes, trabalho com reabilitação animal e ele ajuda-me a reabilitar outros animais, os meus cães são minha familia, se alguem pensa que cães são só cães está enganado.
27.01
sds26 disse:
Ola, estava a ver os comentários sobre o Boxer e vi que pediste para te responderem guispeedy. Bom, ja passou algum tempo mas espero que continues com a companhia do speedy! Já tenho boxers há mais de 15 anos. A primeira q tive (Fani), os meus pais compraram-na a um criador, escusado será dizer que apaixonamo-nos perdidamente por ela. Quando ela tinha 8 anos decidimos fazer criação com ela pois queriamos ficar com um filhote dela. Teve 5 cachorros, 1 macho e 4 femeas, todos lindos. O macho oferecemos a uns vizinhos que tinham perdido o seu companheiro ha pouco tempo, uma das cadelas oferecemos a um amigo e as outras 3 meninas ficaram para nós (Pretinha, Loirinha e Jeitosa). A Loirinha partiu em 2008 com apenas 7 aninhos, a Jeitosa deixou-nos em Abril do ano passado e a Pretinha foi logo passado 2 meses em Junho, a um dia de fazer 10 aninhos. Foi muito doloroso para nós, muito mesmo, eram as nossas meninas, deram-nos inumeras alegrias, sempre dormiram conosco dentro de casa, eram como irmas para nos. Cada uma com uma personalidade e feitio unicos, foram seres maravilhosos. Dizem que as almas dos cães demoram poucos dias a reencarnar noutro ser, sempre mais evoluido, eu tenho a certeza que todas as minhas meninas reencarnaram em seres humanos pois eram demasiado evoluidas para voltarem a ser cães. A todos os donos babados, aproveitem todos os minutos que têm com os vossos pestinhas e tentem faze-los felizes pois eles passam cá muito pouco tempo!
21.11
guispeedy disse:
olá o meu nome é guilherme. tenho 17 anos e tenho um boxer o speedy que me acompanha desde os meus 6 anos. ele ja esta a ficar velhinho e doente. já nao sobe as escadas em bora por vezes me fassa a surpresa de subir e aparecer no meu quarto.. ele piorou mas tenho esperança que me acompanhe por mais uns anos. ele veio hoje do veterinario e parece estar melhor. eu queria so dizer que percebo a dor de todos os que perderam o seu amado companheiro, eu nao consigo pensar nisso só nos meus piores pesadelos. gostava que alguem responde-se a esta msg ficava muito agradecido. força a todos os donos!
02.10
marisamorais disse:
Boa Tarde. O cão de raça boxer veio parar à minha vida por acaso. Não ligava nada à raça, apesar de achar os cães bonitos. Mas o meu namorado conhecia uma pessoa que tinha uma ninhada e precisava de os dar. A minha primeira boxer foi a zara, tigrada e forte, adorava brincadeira e comilona como tudo. Comecei a apaixonar me pelas características da raça. Infelizmente a zara morreu e 2 anos depois do "luto" veio a maria. A maria foi me roubada de dentro do carro com 4 meses. Partiram me o vidro para a levar, ausentei-me 2 segundos, mas foi o suficiente. Era lindissima e meiga. Procurei a meses a fio, publiquei anuncios no jornal, fiz queixa na policia, chorei baba e ranho. Posso dizer que a maria está estará sempre mas sempre no meu coração. Nunca a vou esquecer. Eu tenho desconfianças de quem foi, ainda hoje passados 5 anos passo regularmente a casa dessa pessoa. Estou sempres atenta a todas as boxers que passam por mim. A maria tinha uma característica particular, tinha uma cicatriz de uma ferida numa das patas traseiras. Não perdi a esperança de um dia a encontrar. Se a encontrasse e soubesse que estava bem não a queria de volta, só queria saber que ela é feliz para puder ficar aliviada e fechar esta ferida no meu coração. Há 3 anos tenho a Lara, a tonta, cominola, brincalhoma, mimada. Dorme comigo desde sempre, pede colo, chora para ir para a cama, destrói muita coisa, mas eu não me imagino sem ela. é como um filho. Eu sei que há pessoas que não entendem estas nossas paixões por cães, se calhar nem eu consigo explicar. Que posso dizer, ela está sempre lá à minha espera, qd estou triste ou alegre. Eu sei que há alguém que não "pode viver" sem mim e isso é tudo e o suficiente para nos apaixonarmos por eles.
01.08
r2e7n4a9 disse:
Dia 26/07/2011. Este foi talvez o primeiro dos dias mais tristes de minha vida. Neste dia as 22:00 horas minha boxer chamada Cindy nos deixou, talvez para ficar zelando por mim e minha esposa lá do alto. Difícil expressar em palavras a dor de sua ausência. A volta para casa depois do trabalho deixou de ser prazeirosa e os dias parecem mais nublados do que de costume. Difícil ficar em casa e conter as lágrimas cada vez que lembro dela. Ela nos acompanhou por quase 8 anos, felizmente para ela teve uma morte sem sofrimento, uma parada cardíaca fulminante. Veio a dar seu último suspiro nos braços meus e de minha esposa, olhando para nossos rostos como que para lembrar para sempre de quem sempre a protegeu. Foi nossa segunda boxer. Nenhuma raça me causa tanta admiração, e embora nós nunca iremos esquecê-la, pela alegria que nos proporcionou e pela infinidade de álbuns fotográficos que montamos, sei que a única maneira de passar um pouco a tristeza é adotarmos um novo filhote. Boxer, quem teve um jamais vai querer ter outra raça, e olha que já tive pastor alemão e dois dobermans.
12.05
Inesm89 disse:
Olá! sou nova por aqui..e decidi vir partilhar a história do Tango! Um cão muito simpático com cerca de 8 anos! O tango, sofreu um acidente com apenas 4 mesinhos... Resultado: Foi-lhe amputada a pata esquerda da frente... ainda assim é um cão muito feliz e teve sempre todo o amor e carinho que qualquer animal deve ter! Recentemente foi-lhe diagnosticado uma ulcera no olho :( Desde ai tem vindo a piorar, piorar e piorar! Já não sei que fazer, não tenho como pagar a operação, apesar de levá-lo as consultas semanalmente sempre com a expectativa que os colirios e pomadas façam algum resultado! Não quero sequer pensar que isto lhe possa provocar a cegueira e até a morte visto que agora alem da ulcera já tem uma hemorragia enorme dentro do olhinho :( O Tango, é o melhor amigo que alguma vez tive.. Ele corre para a porta sempre que me sente chegar, procura na minha mala se tenho alguma sobra do almoço, chora quando tem frio...dorme no meu tapete e sempre que o alarme toca ele faz questão de me lamber a cara para eu acordar também :') AMO o meu tango, e pensar que posso ficar sem ele provoca-me uma dor imensa! Foi apenas um desabafo. Tango <3
rede vivapets:  Português Português English English Español Español Deutsch Deutsch